22 de ago de 2016

Personalizando e fazendo viés

Estava fazendo duas sacolinhas de lona quando resolvi confeccionar o viés que iria usar no acabamento, comecei usando tecido de bolinhas e listras, mas a empolgação tomou conta e, usando carimbos, resolvi estampar o tecido cru com pequenas libélulas azuis, o viés branco comprado pronto também foi decorado e ganhou muitos corações e Bisous (beijos). A vantagem de fazer o viés em casa é poder usar o mesmo tecido em outros detalhes, como as flores que enfeitam as alças.

15 de ago de 2016

Cachepot de sisal e barbante

Um cachepot de crochê feito em sisal e barbante para acomodar um arranjo de orquídeas e decorar minha mesa de jantar. Um trabalho simples onde juntei três grandes paixões: o crochê, as orquídeas e a cor laranja. Usei uma vasilha de plástico transparente como base e também coloquei duas alças de cortiça, material muito comum aqui em Portugal. 

8 de ago de 2016

Móvel Confiturier

Ganhei este móvel de um amigo e estava há bastante tempo na citada e fotografada fila de peças para recuperação, veja aqui, fila que nunca acaba, pois sempre que termino um trabalho outro vem correndo entrar no lugar. Veio da França onde é chamado pelo simpático nome de confiturier e era utilizado para estocar os potes de geleia (confiture), feitas na época de abundância das frutas para serem consumidas durante o ano. Gosto do formato do móvel, da moldura da porta, do detalhe dos pés e do tamanho. A pintura da porta, cheia de arabescos e cores, é um grotesco, motivo muito usado em pintura decorativa e um dos meus preferidos, como a porta já tem bastante cor escolhi um desenho sem movimento e monocromático para as laterais.

1 de ago de 2016

Lavatório antigo recuperado

Este antigo lavatório foi encontrado em uma feira de velharias e o marido gostou muito por trazer boas lembranças da infância e dos bons tempos passado na casa dos avós. É um modelo bem simples,  com a vantagem de estar completo e com as peças esmaltadas em bom estado mas já não se podia dizer o mesmo da base de ferro, muito enferrujada. Marido tratou da parte mais chata que é lixar e passar a base antiferrugem. Para a pintura usei tinta spray vermelha para as barras e branca nas partes circulares, onde pintei um motivo copiado de um antigo azulejo em azul escuro, para coordenar com os detalhes das peças esmaltadas.