30 de jul de 2018

Lhamas

As lhamas são as queridinhas do momento e conquistaram meu coração e minha casa. Tão simpáticas e alegres com seus pompons e flores coloridas que dá vontade de ter várias, mesmo que seja só na decoração. A primeira chegou por aqui aplicada em um estandarte (veja aqui), depois vieram as almofadas em ponto russo (veja aqui), e agora mostro as almofadas e a louça comprada pronta e customizada pois achei que a falta de cor não estava combinando com o charme e a elegância da personagem. Para deixar as almofadas mais coloridas e alegres, bem ao meu gosto, bordei flores, preguei pompons, tassel e miçangas. Na louça pintei pequenas flores e outros detalhes usando canetas Posca. 

Louça e almofadas antes: bonitinhas mas sem cor. 

16 de jul de 2018

Pintura em porcelana - sopeira

Há tempos queria testar pintar em porcelana com caneta Posca e a sopeira sem graça e meio desajeitada que resolvi transformar em floreira foi o empurrão que estava faltando: vamos colorir que fica bonito! Escolhi fazer um motivo simples e fácil, desenhando a mão livre direto na peça, sem complicação. Depois da peça pronta segui as instruções do fabricante e coloquei no forno para fixar a tinta. Pena que a pintura fique opaca e não brilhosa como nas louças compradas prontas, mas mesmo assim achei que a floreira ficou engraçadinha e divertida, perfeita para enfeitar e colorir um cantinho da casa no verão. 

3 de jul de 2018

Peneira de farinha e plantinhas

Na postagem anterior mostrei os suportes de vaso que preparei para dar destaque às plantas que tenho nas varandas (reveja aqui). Hoje vou mostrar as peças que reutilizei para acomodar algumas das plantas pequeninas que tenho na sala. Para as duas mini-orquídeas transformei em expositor uma peça bem comum por estes lados: uma peneira de farinha. São peneiras com a borda em madeira alta e o fundo em arame ou tela usada na fabricação de farinhas. O trabalho artesanal com arame é tão minucioso e bonito que deixei a peça no estado original, só acrescentei a pequena prateleira que sustenta os dois vasinhos. Para as Tillandsias, ou plantas aéreas, usei um porta-bijuteria cheio de pássaros onde pendurei minivasos e, por último, um suporte comum da Ikea onde pintei um alegre e colorido coquelicot. Gostei do resultado, mas acho que as plantinhas gostaram muito mais.  

E o vâo entre as duas salas virou o cantinho das orquídeas. 
O suporte de bijuteria ganhou um upgrade e virou expositor. 
 

A velha peneira com seu lindo trabalho em arame e o ínicio dos trabalhos. 
                   

19 de jun de 2018

Suporte para vasos

O trabalho da última semana foram estes suportes de vasos em madeira. Eles saíram da minha lista de próximos trabalhos diretos para as varandas dos quartos, cheios de flores e cores esperando para dá as boas vindas à família. Este foi o último projeto em madeira antes de entrar em modo "verão", rs, agora só quero relaxar e preparar tudo para aproveitar a companhia das filhas, netos e genro. Os serrotes, martelos e pregos ficarão guardados até o final do verão, mas isso não quer dizer que o blog ficará abandonado ainda tenho vários trabalhos para mostrar. 


11 de jun de 2018

Bordado em ponto russo

Ponto russo continua em alta aqui em casa tenho treinando bastante tentando compensar o longo tempo que a agulha ficou guardada, rs. Os últimos bordados são os pequenos ramos de lavanda e mimosas que enfeitam os sachês que preparei para as filhas, estão cheinhos de saudade e da lavanda colhida no quintal.


A colheita da semana.

28 de mai de 2018

Almofada em ponto russo

Há muito tempo comprei uma agulha de ponto russo (aquele que fica parecendo um atoalhado) e depois de algumas tentativas de uso sem muito sucesso desistir e a agulha ficou completamente esquecida. Foi assistindo a um programa de artesanato na TV onde a apresentadora ensinava a bordar em ponto russo que me lembrei da danada da agulha e resolvi tentar mais uma vez, jurando que seria a última. No início errei um bocado não conseguia fazer uma fileira com pontos iguais, ora ficavam espaçados ora ficavam soltos. Foi depois de mudar de linha algumas vezes e aumentar a tensão do tecido no bastidor, quanto mais esticado melhor, que enfim consegui fazer pontos certinhos e o bordado começou a ficar cheio e fofinho. Antes de começar a bordar as almofadas ainda treinei mais um pouco, mas depois que se pega o jeito o bordado flui rápido e não demorou muito para as simpáticas e prestativas lhamas ficarem prontas.

Dica de acabamento: como o ponto russo se desmancha com facilidade, principalmente em peças sujeitas a lavagem frequente, é importante passar no avesso do bordado (somente sobre o bordado) uma camada de termolina leitosa ou outro impermeabilizante resistente à água. 
A diferença entre o primeiro e o segundo bordado: a lhama branca com pontos espaçados e algumas falhas, na lhama laranja pontos juntos e resultado mais fofinho.

Aparando pontos soltos e passando termolina.